domingo, 20 de junho de 2010

AMOR NA GUERRA

DUAS PALAVRAS

O Jornal da Amadora publicou de 1 de Janeiro do ano de 2006 a 15 de Fevereiro de 2007 as crónicas de Daniel Costa enquanto militar mobilizado em comissão de serviço no norte de Angola a fim de combater na guerra colonial.
Tudo começou nos primeiros meses de 1962 e vai desenrolar-se até Abril de 1964.
O relato assume-se sempre de forma objectivada e pormenorizada.
A escrita diarística encontra aqui um representante válido porquanto os acontecimentos militares não podem excluir as relações de casualidade.
Trabalhos desta índole representam na micro estória a busca de significantes e interrogam-nos.
A figura do soldado Onofre (Daniel Costa), nestas crónicas revela uma continuidade complementar na postura que se propõe a si próprio ao longo do relato, na procura, conseguida, de informar e informar-se.
Prepassam nestas páginas breves alusões, embora, a personagens conquanto alheias à guerra colonial relevam de contemporaneidade ( De Gaulle e Montegomery).
Todo o descritivo situa-se na ambiência geográfica africana - a negritude - na sua carga milenar; esta assimila-se à presença portuguesa gerando a miceginação.
O acervo de dados a partir do Esquadrão 297 é impressionante: o real quotidiano, as obrigações da guerrilha. o outro. A Breda e a Mauser, o alojamento, os acampamentos, as refeições, o convívio entre militares, o lazer, as "madrinhas" de guerra.
Os desfiles. A sexualidade na ambivalência das recordações femininas e as "derivações" na mulher africana.
Por fim a aurora da libertação.
Onofre (Daniel Costa) coloca-nos perante as memórias das vivências insuspeitadas destes actores.
Deles e dor do outro, visto que a memória é recíproca.
Necessáriamente.

A. M.

Lisboa, Agosto de 2007

4 comentários:

  1. Olá Daniel, e assim se escreve a história de que as gerações futuras irão poder tomar conhecimento.Excelente tabalho. Parabéns.

    Tenha uma boa semana.
    Bj

    ResponderEliminar
  2. Amigo, todos temos que tirar o chapéu para ti. Na verdade, és o homem, o escritor e historiador mais culto e completo que já conheci.
    Parabéns, Mestre Daniel!!!

    ResponderEliminar
  3. *
    mais uma vez
    recordei os pantanos
    de Bijagós . . .
    ,
    aquele abraço, fica,
    ,
    *

    ResponderEliminar
  4. MEU CARO AMIGO DANIEL, SIM QUE BOM QUE TENS CONSCIÊNCIA QUE SÓ HÁ UM DEUS,(O MISTÉRIO DA A TRINDADE) PAI, FILHO E ESPÍRITO SANTO, OBRIGADA PELA OPORTUNIDADE DE FALAR, SEJA BEM VINDO, ESTOU DISPONÍVEL A PERGUNTAS E AS RESPONDEREI, DENTRO DA PALAVRA BÍBLICA, TENDO UMA BÍBLIA CONFIRA; TENHO AINDA DE MIM UMA COISA A ACRESCENTAR, SE ÉS PAI SABES COMO DESEJAMOS O MELHOR PRA NOSSOS FILHOS E COMO NOS É DIFÍCIL NOS FAZER ENTENDER E VER NOSSA VONTADE ESTABELECIDA, ABRAÇOS DE PAZ.

    LUCAS,CAP.11 - VER.11,12,13
    *E qual o pai de entre vós que, se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou, também, se lhe pedir peixe, lhe dará por peixe uma serpente?

    *Ou, também, se lhe pedir um ovo, lhe dará um escorpião?

    *Pois se vós, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?

    *Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais. Jeremias 29:11

    *E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus. Filipenses 4

    ResponderEliminar