segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

PRAIA DO AMOR


                               

PRAIA DO AMOR


Depois de arrumadas várias questões, secretariado eficientemente, pela bonita Mirta, sua amada em Angra dos Reis, tinha em suspenso, um caso na Praia do Amor.
Era numa das edílicas praias do Departamento Federal de Paraiba, perto da capital daquele Estado, João Pessoa, onde se situava a Praia do Amor.
Cerca de cento e cinquenta quilómetros de praias são um dado.
Uma vez que se tratava de ir estar também numa zona paradisíaca, imaginou ir acompanhado da sua linda Mirta, que apresentaria como sua secretária.
Fora dali ao Aeroporto do Rio de Janeiro, apanhar um voo para a cidade de João Pessoa.
Ali apanharam um táxi até à Praia dos Amores.
O motorista recomendou o Hotel Rieger, Baneário de Camboriú, perto do destino.
Ali se instalaram, não sem antes a sós, se darem a manifestações intensamente amorosas, pensaram então na praia
Dado que só na tarde do dia seguinte, Olavo tinha aprazado encontro com Clonisse, Viveram o resto da tarde as delícias que a Paria do Amor, pode proporcionar.
Os seus numerosos penhascos, na própria praia ou já no mar, esculpidas por este, ao longo de milénios, um espectáculo digno de ser visto.
Sempre em jeito de casalinho de rolas, entregaram-se a uma sessão natatória.
De seguida, sempre no mesmo jeito de ternura, dedicaram-se a um demorado banho de sol, à vista daquele agradável mar de um lindo azul, escutando o seu doce marulhar.
Posto que veio a noitinha, regressaram ao hotel.
Chegados, Olavo através do notebook, contactou a unidade do apartamento de Angra dos Reis.
Depois enviou E-Mail, o que fazia diariamente, à sua amada Vera, a mulher da sua vida.
Jamais esqueceria, a sua terna esposa. Ela estaria sempre pronta a esquecer a suas infidelidades.
Na verdade Olavo, que nunca fora o que se chama de pinga amor, pensava:
- Hum… infidelidades profissionais!...
O casalinho, entregando-se, mas uma vez a uma ternura ímpar, acabou por jantar no quarto.
Parecia que Mirta, encontrara a felicidade completa, na sua entrega de alma e coração, ao “gentleman” Olavo.
Na manhã seguinte, voltaram, à Praia do Amor, tinham sabido que por perto, havia um espaço reservado a nudismo.
Sem ideias de “voyerismo” foram observar de relance.
Após o que voltaram a mergulhar e de seguida, a mais um aprazível banho de sol.

Daniel Costa


10 comentários:

  1. Uauuu...sem comentários.

    Gostei

    Obrigado pela partilha

    Bisooos

    ResponderEliminar
  2. Oi Daniel,

    Que delícia esta Praia do Amor, hein?
    Olavo é meio "cara de pau", pois ousa justificar suas traições como infidelidades profissionais.
    Pode?????
    (rsrsrsrs)

    Adorei o capítulo!

    Bjs.

    ResponderEliminar
  3. Belo alvorecer meu amado e querido amigo!
    Nossaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa !!!!!!!!!!!!!!!!
    Vc quer que eu morra de saudades né!É assim que vc diz gostar de mim.Me provocando sempre,kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Essa praia ,para mim é a mais bela de todas,pois é nela que me realizo como escritora.Dai que sai a maioria das minhas escritas.Eu sou suspeita de falar,pois essa praia é o meu quintal,kkkkkkkkkkk
    Já que o escritor Daniel na sua ficção trouxe esse casal.O Olavo e a Mirtes para mais uma delícia amorosa,sinto que eles ainda vão voltar para concluir o amor que assola eles.Só tenho pena da Vera,pois na sua inocência precisa acordar para à vida.
    Como conheço de perto as tramas do amor.Deixo aqui à verdadeira história de como essa praia ganhou esse nome tão belo,e o pq que todos que passa por aqui,sente o desejo de voltar.Assim como o casal Olavo x Mirtesvão querer voltar...
    Praia do Amor- Jacumã, Município de Conde-Paraíba(Brasil)
    Os casais de turistas seguem a tradição de passar por entre a fenda da pedra de mãos dadas. Esta praia era habitada pelos índios Caetés, que costumavam fazer rituais de casamentos à noite e para concretizar a união, o casal de índios tinha que atravessar uma pedra em forma de arco. Por conta disso, diz a lenda, que os casais que passam por lá conseguem felicidade e amor eternos no casamento.
    Aproveito essa história linda para te convidar a vim tbm apreciar toda essa beleza que temos de graça para oferecer aos turístas.
    Tbm quero agradecer sua amizade que para mim ganhou toda essa beleza.E ainda pude matar saudades.
    Ah!Ia me esquecendo,kkkkkkkkkk,estou com um post lindissimo que fala de saudades...
    Bjs com sabor do sal da minha praia!

    ResponderEliminar
  4. Desta vez, Olavo se entregou às delícias da paisagem e de sua nova paixão. O ambiente é propício, já que exala beleza e convida ao amor.
    Certamente, logo terá que voltar à realidade, em outro deslocamento profissional.

    Bjs.

    ResponderEliminar
  5. Bem, se a esposa não liga para os "pulinhos de cerca" do Olavo, sou eu quem vou condená-lo?
    Deixa o homem aproveitar a vida! [risos]
    Legal, Daniel! O vídeo é uma gracinha, paisagem linda e juventude dourada.
    Beijinhos...

    ResponderEliminar
  6. Ele escolhe belos lugares para suas aventuras.

    Bjos.

    ResponderEliminar
  7. Querido amigo,


    Olavo é mesmo um "bon vivant"! Está certo! Espero que Olavo seja também um homem precavido, visto ser João Pessoa a segunda capital mais violenta do país.


    Beijos com carinho

    ResponderEliminar
  8. Ola Amigo Daniel!!

    Amei seu novo blog. Ja me aportei por aqui.

    Seu conto adorei. Fala de nossas lindas praias afrodisiacas.

    Dificil o Olavo resistir. Mar, calor,paixão.

    Um bj

    ResponderEliminar
  9. Olá, Daniel
    Obrigada pelo teu alerta :)
    Desculpa só vir agora mas desde segunda feira tenho estado com uma enxaqueca de caixão à cova!
    Na segunda feira de manhã fui ao IPO (boas notícias! tudo negativo...)e quando cheguei a casa começou a enxaqueca. Vá lá, não me atacou de manhã... já não foi muito mau.
    Mas nem tenho conseguido olhar para o écran do pc. Foi mesmo forte. Hoje já estou muito melhor, felizmente.

    Adorei a descrição, óptima, que fazes daquelas belas praias. Parece até que as conheces palmo a palmo :)
    E o nosso Olavo lá vai levando a dele, nada mal... Tenho muita pena da Vera, desculpa que te diga...
    O maior problema é que somos obrigados a gostar do Olavo... senão já teria dito cobras e lagartos dele... :)))))))))))))

    Vou aguardar a continuação (esperando que não te esqueças de mim...)

    Um 2012 muito feliz e realizador dos teus sonhos.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Olavo sempre sabe fazer boas escolhas. Os lugares são lindos.
    Estou de volta depois de uns dias ausente. Tudo de bom em 2012
    Desejo uma semana imensa de coisas boas. Obrigada pelo carinho da amizade...Um abraço!

    ResponderEliminar