segunda-feira, 10 de outubro de 2016

CAPITANIA DO CEARÁ

Resultado de imagem para ceará
Resultado de imagem para ceará

CAPITANIA DO CEARÁ

Na beleza da reluzente visão do mar da capital da Paraíba, entre o oceano e a cidade, no imponente Hotel de Tambaú, com a bela Samira a embelezar-lhe a existência, Teodósio de Mello, pensador por natureza, não podia deixar de reflectir sobre todos os aspectos que envolveram a colonização e aculturação do grandioso Brasil.
E esbarra sempre com a chamada União Ibérica, que de união nada teve de proveito para a Coroa Portuguesa. Veja-se até o caso dos holandeses que, tendo estado também sobre o jugo dos espanhóis, foi na Colónia do Brasil, que passaram a retaliar estes, quando na verdade, tiveram de ser os portugueses e seus aliados indígenas a vencer as suas invasões e expulsá-los, definitivamente do território.
Os factos da história do território cearense, na História Moderna, começaram a ser registados a partir do XVI século.
A região já habitada por várias etnias indígenas a viver da extracção de recursos naturais, como o que provinha da pesca e do comércio com povos europeus.
A História da formação do Ceará resulta de factores sociais diversos, como a interacção, dos povos nativos com os europeus e africanos e da adaptação destes ao fenómeno da seca.
A capitania, em 20 de Novembro de 1535, foi doada ao provedor-mor da Fazenda Real, António Cardoso de Barros, subalterno de Fernão Álvares de Andrade e de D. António de Ataíde. Este não se interessou em colonizá-la.
Os franceses foram os primeiros europeus a estabelecerem-se no Ceará, onde em 1590 fundaram a Feitoria da Itabanga, já ali negociavam âmbar-gris, as tatajubas (nome popular de árvores de grande porte), a pimenta e o algodão.
Os holandeses também já negociavam com os cearenses nativos, a exemplo do capitão Jen Baptista Sijens, que esteve no Mucuripe em 1600.
A partir de 1603 os portugueses tentaram, por meio do litoral, estabelecer-se em terras cearenses, porém devido à intensa resistência nativa e à falta de conhecimento de como sobreviver às secas não obtiveram sucesso.
Esta foi a primeira tentativa efectiva da colonização, graças aos contactos entre os índios Potyguara e portugueses, que Pero Coelho de Sousa, que fundou o Forte de São Tiago na Barra do Ceará, porém em 1605 sobreveio a primeira seca registada da história cearense, fazendo com que Pero Coelho e família abandonassem a capitania.
Depois da partida de Pero Coelho, os padres jesuítas Francisco e Luís figueira chegaram ao Ceará para evangelizar os ossilvícolas.
Avançaram até à Chapada da Ibiapaba, aí ficaram até à morte do padre Francisco Pinto. O padre Luís voltou para Pernambuco em 1608.
Nova expedição portuguesa foi enviada em 1612, como parte dos esforços para a conquista do Maranhão, dominado então pelos franceses.
Dessa expedição fez parte Martim Soares Moreno em 1602, que ergueu o Fortim de São Sebastião, também na Barra do Ceará. Ao voltar em 1621, encontrou o forte destruído, mas lançou as bases para início da exploração económica pelos portugueses e a convivência com os nativos.
Já estabelecidos em Pernambuco desde 1630, os holandeses tentaram invadir o Ceará em 1631, a pedido das nações indígenas cearenses. Entretanto, a primeira tentativa de conquista holandesa fracassou.
Porém, em 1637 o território voltou a ser ocupado pelos holandeses, devido a uma luta conjunta com os nativos, em cuja, os portugueses foram feitos prisioneiros e levados para a capital da capitania.

Daniel Costa



4 comentários:

  1. De cada vez que aqui passo fico a saber um pouco mais da nossa História comum... Gostei de ler, Daniel.
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  2. Daniel não conheço o Ceará,mas sei que é lindo,e você nos dá esse prazer de conhecê-lo melhor através das suas publicações.
    Parabéns,adorei!
    Bjs,obrigada pela visita e uma ótima semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  3. OI DANIEL!
    TAMBÉM AINDA NÃO TIVE O PRIVILÉGIO DE CONHECER ESTE PEDACINHO DO BRASIL QUE SEI SER LINDO, MAS, ATRAVÉS DE TUAS PALAVRAS, CONHEÇO AGORA UM POUCO DE SUA FISTÓRIA.
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  4. Ola Daniel,
    Voce descreve e escreve a historia do brasil melhor
    que muito brasileiro.
    Ceara é um lugar belissimo. Terra de José de Alencar, Rachel de Queiroz, Patativa do Assaré, Dom Hélder Câmara, Clóvis Beviláqua, Castelo Branco e de Padre Cícero, o "cearense do século". O Ceará também revelou Chico Anysio, Renato Aragão e Tom Cavalcante, considerados os maiores humoristas do país;
    Parabéns, assim podemos conhecer mais do nosso pais.
    Beijos

    ResponderEliminar