quarta-feira, 17 de julho de 2013

NATURISMO




NATURISMO
 
Ao outro dia, Olavo depois de se ter instalado num hotel das redondezas, tomou o pequeno-almoço e dirigiu-se escritório, objetivando adquirir um apartamento por perto.
Depois de contacto telefónico, com uma determinada agência imobiliária, obteve a promessa de ter rápido o apartamento desejado.
Com esta garantia, partiu de novo para a praia do Meco.
Ali daria umas braçadas, depois uma passeata, ao longo da imensidão da praia, com as suas arribas de calcário, muito recomendado para tratamentos de pele.
Aquela praia, que fora apenas de pescadores, tornara-se muito conhecida e frequentada, devido a ser autorizada a ter a sua parte de naturismo, vulgo nudismo.
A parte de nudismo seria interdita a quem o não praticasse integralmente.
Porém, Olavo estava disposto a fazer tábua rasa desse preceito.
Depois do banho, percorreu em linha reta todo o extenso areal.
Entrado na parte demarcada, do naturismo, com o seu à vontade natural foi entabulando conversas, sobretudo com mulheres, que olhando o seu calção de banho e a sua postura trocava, aqui e ali, impressões normalmente.
O inspetor, sempre com os seus olhos de lince, pôde ver alguns “voyeur’s” postados a espreitar, escondidos em várias moitas das arribas.
A sociedade é de facto composta de tudo!
Depois foi almoçar ao “Mequinhos”, tendo por objetivo o seu trabalho de investigação encomendado pela Mizé.
Ficou na mesma mesa, onde logo o empregado o cumprimentou cordialmente
Este trazia logo a ementa, para ele fazer a sua escolha.
Não tardou muito, apareceu sorridente o corcunda Paiva, como se fosse a elegância feita homem.
A corcunda era bem visível, o que admirou Olavo, em face da elegante mulher que reconhecera na sua.
Enfim, o empregado, entretanto chegara com o almoço já solicitado e enquanto o servia, com os olhos no corcunda, ia cochichando com Olavo.
Logicamente o cliente, recém-chegado, como assíduo e vivaz, não podia deixar de notar que o alvo dos cochichos era ele.
Tratou logo de indagar do que se tratava, o que criou um certo mau estar no empregado.
No entanto, foi sossegado pelo detetive, que logo se propôs ir ter uma conversa com Paiva, quando acabasse de almoçar.
Após o almoço, ambos se encontraram, na mesma mesa, dando-se a curiosidade de, entre eles, logo se estabelecer mutua simpatia.
Ambos eram bem formados e habituados a estabelecer contactos.
Foram dialogando, até o corcunda, oferecendo um digestivo a Olavo, tratou de indagar o que procurava da sua pessoa, visto não ter dívidas, nem ter solicitado algum empréstimo a nenhuma entidade bancária.
O inspetor ficou assim com o espaço para lhe falar de Mizé.
Foi ouvido com uma risada:
- Meu amigo, a Mizé já era, apenas falta eu a abordar a pedir o divórcio.
Amigo…
Já tenho uma nova companheira com quem vivo e nos amamos!
Pode já contactar a sua cliente com a resolução!
Agora, ergamos os copos, à nossa saúde, mais por o mistério ter deixado de o ser.
Como já conhecera a Mizé, restou a Olavo, pensar com os seus botões:
- Mas onde o corcunda Paiva, embora bom conversador, depositará o lixo?

Daniel Costa


5 comentários:

  1. Olá!Boa noite
    Daniel
    Li a primeira do detetive Olavo.
    Muito bem contada.
    Praia de nudismo nunca fui...
    Mas onde o corcunda Paiva, embora bom conversador, depositará o lixo?
    ...Mizé contrata Olavo,sem saber que já estava sendo deixada de lado.Corcunda Paiva já estava com outra.Só faltava Mizé, desiludida,querer ficar com Olavo...
    Obrigado pelo carinho da visita
    Bela quinta feira
    Abraços

    ResponderEliminar

  2. Olá Daniel,

    O Olavo parece tranquilo demais para quem acaba de perder a sua amada.
    Então, o Paiva já vive com outra mulher e também deseja o divórcio com a Mizé. Com certeza, ao levar a notícia à sua cliente, Olavo e ela se consolarão mutuamente-rsrs.

    Não vejo a praia de nudismo com o mesmo olhar dos naturalistas.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  3. Olá amigo Daniel!
    Perdoe-me a demora na visita aqui ao Top Secret de Olavo.
    Mas agora estarei aqui lendo desde do primeiro capitulo e estarei comentando sobre.

    Obrigada sempre amigo por tua ilustre visita aos meus espaços poéticos!

    Boa noite!

    Beijos da amiga Fernanda Oliveira

    ResponderEliminar
  4. Olá, Daniel
    Um episódio que não acaba (por agora!!!) com o Olavo envolvendo-se amorosamente com a cliente :))) Caso raro!
    Quanto ao corcunda...deve ter encantos escondidos, para mudar de mulher como quem muda de camisa :)
    Há um pequenino reparo que farei por email.

    Beijinhos muito amigos
    Mariazita

    ResponderEliminar
  5. Meu amigo, a aparência física não tira os encantos de alguém que tem outros atributos agradáveis. Mas o corcunda foi muito frio ao relatar que já estava apaixonado por outra. Mulheres merecem respeito e a esposa deveria ser a primeira a saber, quando um homem decide ir embora.
    Olavo resistiu e não praticou o naturismo (rss). Bjs.

    ResponderEliminar