domingo, 26 de agosto de 2012

CLUBE DE SWING



CLUBE DE SWING

O Inspector passou o dia no seu escritório de Lisboa, entre E-Mail’s e telefonemas, a resolver os vários casos pendentes.
Enquanto isso, andou sempre meditativo, em relação ao caso Vanessa.
Haveria mesmo motivo, para a sua preocupação?
Do modo, como ela expusera, tudo dava a entender que sim, mas sua visão inicial, nada de estranho notara.
Porém, se necessário, procederia a mais verificações, do comportamento de Adolfo, no Europa Bar, onde pelos vistos, ia todas noites.
Decidiu portanto, também marcar ali afincada presença, com o fim de trazer bem vigiada a possível presa.
Olavo jantou e disse a Vera, que ia tomar café com o seu Licor Beirão, no Europa Bar, onde podia regressar tarde.
Logo após saiu.
Ao entrar no espaçoso Bar de diversão e reunião nocturna, nada de Adolfo, apesar de já ali se encontrarem amigos seus.
Olavo foi tomado o café e bebendo, calmamente o licor, sempre observando e meditando.
Passado um certo tempo, viu entrar Adolfo, acompanhado por uma elegante mulher.
Como é evidente, com descrição, já não desviou os seus sentidos deles.
Verificou, terem escolhido mesa, de modo a ficarem a sós.
Ali fizeram o seu consumo, enquanto conversaram, depois meteram-se no carro e zarparam.
Olavo muito atento, seguiu-os à distância, também no seu carro evitando ser notado.
Numa zona, perto da Sé de Lisboa, pode dizer-se no espaço, entre a Baixa Pombalina e Alfama.
Adolfo estacionou o carro e ambos saíram. Alguém veio entreabrir, espreitou e sem franquear mais a porta, fez sinal para para que entrassem.
Como não lhe pareceu moradia, Olavo ficou como que petrificado.
Depois, suspirou e ali perto, num café, com o seu jeito, veio a saber que um Clube de Swing ali funcionava.
A Baxa Pombalina, é uma reconstrução de 1755, pelo Marquês de Pombal, após o célebre terramoto, de 1 de Novembro, desse ano, que devastou Lisboa, assim como várias localidades, nomeadamente no Algarve.
O terramoto, mais marmoto, que pela sua grande intensidade, interessou bastantes filósofos europeus.
Visto Olavo ter de rever a estratégia em relação a Adolfo, foi pensando, na vizinha e vetusta Sé de Lisboa.
Apesar de se situar, na encosta, foi bastante atingida pelo sismo.
A Sé de Lisboa, inicialmente designada, por Igreja de Santa Maria Maior, mandada erigir pelo rei D. Afonso Henriques em 1150, três anos após ter reonquistado aos mouros, o que viria a ser capital de Portugal.
Foi construída no local de uma antiga mesquita, para o primeiro bispo de Lisboa, o cruzado Inglês, Gilbert de Hasting.
No século XV, três terramotos, assim como o de 1755, foram muito inclementes para a Matriz de Lisboa.
Ao que tudo indica, construída sobre a antiga mesquita Muçulmana, o primeiro impulso de edificação da Sé de  Lisboa deu-se entre 1147, data da reconquista da cidade,  aos primeiros anos do século XIII.
No projecto, foi adoptado um esquema idêntico ao da Sé de Coimbra.
A Sé de hoje é uma mistura de estilos, com a fachada e as duas torres sineiras ameadas e a esplêndida rosácea, a manterem sólido aspecto romântico.
Curioso, ainda hoje se pode ver a pia baptismal, onde foi baptizado Santo António.
Possuindo a Sé Catedral, bastantes tesouros, a peça mais preciosa é a arca que contém os restos mortais de S. Vicente, padroeiro da cidade.
Os mesmos foram transferidos do Cabo de S. Vicente, para Lisboa em 1173.
A lenda reza, que dois corvos sagrados mantiveram uma vigília permanente sobre o barco que transportava as relíquias.
Os corvos e o barco tornaram-se o símbolo da cidade de Lisboa.

Daniel Costa

7 comentários:

  1. Amigo Daniel !!!!!!
    Hoje o Top Secret Olavo,nos traz mais um desenrolar no mundo no mundo do Olavo.Tudo leva a crer que ele vai desvendar mais um caso e,desta vez com uma comunidade Swing,onde grupos de pessoas acreditam nessa filosofia swngers do qual faz seu modo de vida se adaptar e partilham experiências.Não sabendo,se o Olavo foi preparado para tanto,tenho curiosidade de saber da sua fonte de experiência num caso desse?Como o Olavo se comportará na questão para descobrir e deixar seus clientes informado.
    Hoje vejo que não é fácil assumir uma profissão dessa.Onde muitas vezes tem prazer e,muitas vezes luta com casos melindrosos onde o lado profissional não pode se confrontar com o lado lúdico.
    O capitulo de hoje vejo que está esquentando e quando lemos já sentimos o desejo de ver o próximo capitulo,rsrsrs.
    Parabéns mais uma vez e desejos de um bom desenrolar para os próximos capítulos.Pois vejo que a cada novo capitulo a responsabilidade do autor aumenta e muito.
    Abç

    ResponderEliminar

  2. Olá Daniel,

    Um caso fora do padrão para o Olavo desvendar, mas, com certeza, ele saberá conduzir suas investigações para atender satisfatoriamente a sua cliente.
    O capítulo de hoje traz uma interessante aula de história. Adorei, pois conhecimento somente nos acresce.

    Ótimo dia.

    Beijo.

    ResponderEliminar
  3. Meu querido amigo,
    Você é um escritor sem medo, pois coloca, literalmente, o dedo numa das maiores feridas sexuais do mundo moderno. Uma ferida que alguns tentam encobrir como algo "bom e moderninho" para casais, ou seja, o tal do swing. Nossa, se eu desconfiasse que meu marido se desse a tais perversões, eu nem contrataria um detetive, eu lhe dava um belo chute no traseiro, rsrs.
    Legal, Daniel! Qauanto à parte histórica, trata-se de uma verdadeira viagem que fazemos através do seu olhar arguto e bastante descritivo.
    Se eu já amava Lisboa, passei a idolatrá-la mais ainda.
    Beijo enorme!!!!

    ResponderEliminar
  4. E eu que pensei, no capítulo anterior, que o marido estava apenas conversando com amigos, sem razões para a preocupação da esposa! Não esperava esse caminho (rss).
    Você me surpreendeu. Resta aguardar o que Olavo vai fazer.
    Sua narrativa é sempre rica em detalhes, levando-nos a conhecer um pouco da história. Bjs.

    ResponderEliminar
  5. Daniel,
    tudo bem?
    Também estou me situando na história e destaco, além da narrativa fluente, a descrição dos cenários, para quem ainda não conhece Lisboa, como eu, pode fazer uma viagem.
    Grande abraço!

    ResponderEliminar
  6. Meu caro Daniel
    Ainda com as malas por desfazer... aqui estou a visitar o Olavo, em mais um capítulo em que predomina o suspense.
    Penso que surpreendeste todos os teus leitores com a introdução do "swing", um campo "atrevidote"...
    Como irá reagir o Olavo? Conhecendo o seu elevado valor profissional, arrisco-me a pensar que vai encontrar uma solução airosa. Acerto? Tanto quanto sei (e deste assunto sei MUITO pouco...)há clubes desses onde se pode entrar apenas como "voyer"... O Olavo sabe disso, é claro. E não adianto mais às minhas uspeitas...

    A descrição da Sé está muito boa. Também escrevi um post com a lenda de S.Vicente e seus corvos.

    Estou a fazer um esforço (mental) no sentido de, em breve (duas ou três semanas) publicar um post. Vamos ver se conseguirei...

    Uma semana feliz. Beijinhos

    ResponderEliminar