domingo, 8 de abril de 2012

FLORIANOPOLIS

                  
                             

FLORIANOPOLIS

Regressado a Lisboa, dirigiu-se de imediato a casa, onde a sua Vera o esperava, tendo ela abordado, ternamente a saudades que sentira dele.
Olavo, além de saber, pelos registos no notebook, entrava diariamente em contacto com Mirta, que ficara no seu apartamento de Angra dos Reis.
Num Mail’s, esta informara haver recebido telefonema de Carina, sobre o assunto de que já estabelecera contacto.
Tinha pressa de que o mesmo fosse aclarado.
No dia seguinte, depois de passar cedo pelo escritório de Lisboa, dirigiu-se ao aeroporto Internacional da Portela.
Num dos voos TAP, de imediato partiu para o Rio de Janeiro.
Chegado à cidade Maravilhosa, fez a sua partida para Angra do Reis.
Mirta esperava-o ansiosa e também com manifesta saudade, traduzida em beijos e mimos.
Depois de contactar telefonicamente Carina, Olavo combinou estar em Florianopolis, no dia seguinte.
Como ainda nada sabia de horários de voos para a Capital do Estado de Santa Catarina, de lá a contactaria.
A seguir Mirta e Olavo jantaram, numa atmosfera de troca olhares enternecedores.
Depois do que regressaram ao apartamento e finalmente, se enlearam, ternamente, por bastante tempo.
Chegado ao outro dia, de manhã cedinho, o inspector foi tomar o avião para Florianopolis.
Ali, depois de instalado, no hotel – Mercure Florianopolis Convention, de novo, estabeleceu contacto com Carina.
Combinaram um encontro, logo nesse dia no bar do hotel.
Esta apareceu bastante excitada e desatou logo a apresentar contornos da sua história.
Aparentemente, não diferia muito de outras que, pacientemente ouvira.
Era o seguinte:
- Seu marido, o Adilson, Deputado pelo Estado catarinense, ultimamente parecia desmotivado de cumprir as suas obrigações matrimoniais.
Teria embeiçado com outra mulher e ter perdido o interesse por ela?
Olavo, depois de a ouvir, questionou, não serão apenas suspeitas, infundadas suspeitas?
Carina, como que surpreendida com a pergunta negou, porque isso se estava a passar há bastante tempo.
Visto ser assim, o inspector anotou dados e iria agir, decerto veria do que se tratava, em concreto, dentro de dois dias a contactaria de novo.
Entretanto, já Carina se ia insinuando a Olavo.
Os deuses sabem que, este sem o prever, quase se viu na obrigação de a mandar subir.
Já no seu aposento reparou que, ela era uma mulher, pouco menos que irresistível.
De certo modo, ali estava desafiadora, que fazer?
Vendo-a carente, Olavo achou por bem satisfazer-lhe os desejos.
Era uma cliente, não podia recusar-lhe a almejada felicidade que parecia implorar.
Em determinado momento entregaram-se mutuamente.
No fim, ambos saciados, pareciam ter vagueado numa galáxia, chamada felicidade.
Carina, consultou o relógio e ia-se a despedir.
Olavo não o consentiu e acompanhou-a à saída do Mercure Florianopolis Convention,
Aí sim, fizeram as suas despedidas.
O inspector ficou ainda a observar o porte de Carina, até ela se meter no carro e arrancar.
Voltou ao seu aposento, a meditar no doce que de mulher que acabara, de satisfazer gostosamente.
Nisto ficou a equacionar a estratégia, para dar início à investigação ao deputado.

Daniel Costa


5 comentários:

  1. Oi Daniel,

    Olavo não toma jeito, eles sempre está desafiando esse lado de conquistador. Não resisitiu a insinuação da Carina.

    Gostei dos detalhes, Florianópolis é uma cidade linda, tem praias maravilhosas.

    Desejo que sua páscoa tenha sido excelente.
    Uma ótima semana!
    Um grande abraço!

    ResponderEliminar
  2. Boa noite, Daniel
    Mais um caso de amor em que o Olavo representa o papel principal. Um verdadeiro Don Juan!
    Sabes? às vezes penso se ele não terá medo que a mulher, a sua querida Vera, descubra que afinal o marido é um conquistador, que ela mal conhece...
    É que, como diz o velho ditado - "Tantas vezes o cântaro vai à fonte que um dia lá deixa a asa"...
    É bom que isso não aconteça para já, senão lá se acabam as belas histórias do Olavo...
    Temos que o deixar continuar a divertir-nos :)

    O vídeo é lindíssimo!

    Espero e desejo que a tua Páscoa tenha sido feliz.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Amigo Daniel !
    Vejo que o Olavo ao chegar no Brasil ver tudo com outro olhos,fica cheio de desejos.
    A psicologia nos diz que somos o tempo todo território dos desejos.O ser humano não vive sem desejos.E o Olavo é aquele tipo que sabe quando a mulher carece.E carecer é o mesmo que ser imperfeito,limitado.Talvez seja por isso que o inspetor só cumpre sua investigação,uma vez consumado,o desejo deixa de existir,dando espaço para um novo.Como investigador será que ele encontrou a profissão ideal ou é apenas um conceito simbólico que facilita os vínculos para chegar as mulheres...A continuação desse enredo vai nos mostrar...
    Abç

    ResponderEliminar
  4. Querido Daniel,
    Um dos pontos que mais me cativam nas suas histórias é o cenário que serve de pano de fundo para o decorrer da trama. Florianópolis, uma das poucas cidades que não pude conhecer nesse imenso Brasil, mas tennho amigos por lá que até me convidaram, mas ainda não deu, rsrs. Quem sabe, um dia...
    Assisti a um filme a pouco tempo em que o personagem masculino tem a cara do Olavo. Um homem viril, inteligente e cavalheiro.
    Parabéns pela sua criatividade!
    Beijo enorme no seu coração!!!

    ResponderEliminar
  5. Mais uma vez, Olavo se entrega ao prazer, ao lado de uma cliente. Ele é irresistível para as mulheres que o contatam. Agora, nos resta esperar pelo que o político está aprontando. Eventualmente, pode não estar traindo a mulher, mas passando por problemas físicos. A imaginação feminina (rss)! Nessa bela cidade, por certo saberá unir seu trabalho à apreciação do que ela oferece.

    Grande beijo!

    ResponderEliminar