terça-feira, 12 de setembro de 2017

AGRICULTURA, OU AGRONEGÓCIO , VOCAÇÃO DO BRASIL

Foto de Daniel Cordeiro Costa.

AGRICULTURA, OU AGRONEGÓCIO, VOCAÇÃO DO BRASIL

No princípio toda a economia do espaço, que se havia de alargar, aodar–se início à colonização do Brasil, foi baseada no que hoje podemos de chamar de agronegócio.
Sabendo-se que, este representa hoje, 23% do PIB – Produto Interno Bruto do Brasil, segundo o IBGE - Instituto do Brasil de Geografia e Estatística, tudo faz encaminhar os destinos económicos nesse sentido.
Convém realçar que Miguel Foz tem também morada temporária, na cidade de João Pessoa, Cabo Branco, Paraíba, junto ao sítio em que, carinhosamente, os poderes instituídos, estabeleceram a chamada Jampa, orgulho dos extremamente barristas, habitantes da cidade.
É ali o seu posto de observação e estudo do País, que se habituou a amar.
Partindo do princípio do crescimento desta produção, no grande Brasil, que este está entre os países de maior suporte económico do, mundo, advindo do Agronegócio.
A área plantada cresceu cerca de 53%.
Pergunta-se então, como se explica, como em João Pessoa, além de se ter de recorrer, na generalidade, parasse de prover à alimentação das de todas as pessoas (só aqueles a que poderia chamar de indigentes), aquilo se convencionou chamar de RESTARANTE POPULAR, onde por menos de um Real, é o preço a pagar por um almoço completo.
Que só haja restaurantes tipo Buffet?
Citam-se restaurantes, como SAL E Brasa ou MARÉ ALTA, no Bessa e Manaíra, respectivamente, de grande reputação.
Sabe-se que, na maioria dos casos, produtos há de reprodução perene:
- Agora a pergunta fica no ar, posto isto,  onde está a qualidade de vida a que qualquer cidadão tem direito?
Para onde os governantes canalizam os milhões da economia?
- Para o saco da corrupção?
Fica o exemplo de apenas uma Unidade Federativa, mas que dizer das restantes?
Veja-se outro exemplo da má gestão de governação, Rio de Janeiro – RJ, cujo descalabro é enorme, neste ano de 2017, onde nem os policiais, menos outras corporações de funcionários públicos, recebem os seus vencimentos no fim de cada mês.
Que credibilidade se pode ter nos políticos eleitos?
- Zero!...
- Como dizia, na sua comicidade, Jô Soares numa rábula, in programa televisivo “Planeta dos Homens”, da TV Globo, no fim do passado século XX.
Quer dizer; os mesmos desiludiram, os eleitores, que com o seu voto, esperavam deles a contrapartida de boa governação.
Como se explica que já em pleno século XXI, grande parte dos assalariados, tenham o seu vínculo apenas diário?
Que governo é este que nem ao menos tem Ministério do Trabalho, curador de leis adequadas, para que este se movimente numa base tendente ao moderno progresso, de um dos maiores países do mundo, com o é o Brasil?
Quer dizer o Brasil é grande, mas está a ser governado por mentes de pigmeus, que apenas mostram querer saber uma empírica ciência de corrupção!...
Ora é o trabalho o grande motor do progresso, modernamente, estudado por Karl Max, por Emile Durkaim ou Max Weber.
Três sociólógos cientistas europeus, que deixaram ao mundo, estudos sobre as leis do trabalho, da organização social, que já não podem, nem devem ser ignorados por qualquer “staff” governativo, sobretudo no mundo ocidental.
Devemos crer que também partirá de uma forte emigração, no Brasil há uma forte corrente migratória que se tornou contínua, uma diáspora brasileira, mais um fertilizante a fazer germinar o Brasil – País do Futuro.
Depois, que fique sempre a lembrança que o Brasil de hoje tem muito do sangue de nobreza do sueste da Ibéria, por isso, Portugal e Brasil se dizem PAÍSES IRMÂOS.

Daniel Costa


8 comentários:

  1. Mais um excelente texto.
    Gostei de ler, como sempre.
    Bom fim de semana, caro Daniel.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. Lindo e bem colocadas tuas palavras.Tudo pertinente.; O Brasil anda tão mal governado que nem consigo mais acreditar em nada por aqui! Ele tinha tudo pra ser GRANDE! abraços, chica

    ResponderEliminar
  3. Daniel,quanta riqueza nesse meu amado Brasil,mas já estou ficando desacreditada que ele volte a ser como você diz o País do Futuro.
    Adorei ler.
    Bjs e obrigada pela visita.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  4. Daniel, você fez uma pergunta que é a que mais corre por aqui:
    "Para onde os governantes canalizam os milhões da economia?" Você mesmo deu a resposta, está bem por dentro dos meandros da nossa política corrupta e criminosa. A política aqui está como cartola de mágico, não pára de sair coelho; aqui não pára de sair ladrão. Todo o dia tem novidade, e o povo que paga altos impostos (5 meses de trabalho equivale aos impostos) não tem educação satisfatória, saúde e segurança. Essa está um colapso. Ninguém mais sai à noite, só os muito corajosos ou alienados. Gostei desse seu texto, claro, verdadeiro.
    Beijo, amigo.

    ResponderEliminar
  5. O país é grande, um celeiro com imensa riqueza, mas essa riqueza não chega no povo, somos 207 milhões de brasileiros que poderiam viver bem melhor, mas a riqueza é desviada, país saqueado e que resolve o problema de 'outros' países de interesse e não de nosso povo.

    ResponderEliminar
  6. Custa pensar que um país como o Brasil tenha o povo a passar necessidades. Com você eu pergunto: "Para onde os governantes canalizam os milhões da economia?" A realidade é triste. Resta a esperança... O seu texto é excelente, Daniel.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  7. Um monte de pigmeus para governar, porém, monstros para ROUBAR.

    Abraços e uma semana com muita saúde e paz para ti e para os teus.

    Furtado

    ResponderEliminar
  8. Ninguém percebe como um país tão rico de recursos como o Brasil tenha tantas dificuldades financeiras.
    Mais um magnífico post, gostei de ler.
    Bom fim de semana, caro Daniel.
    Abraço.

    ResponderEliminar