domingo, 8 de abril de 2012

FLORIANOPOLIS

                  
                             

FLORIANOPOLIS

Regressado a Lisboa, dirigiu-se de imediato a casa, onde a sua Vera o esperava, tendo ela abordado, ternamente a saudades que sentira dele.
Olavo, além de saber, pelos registos no notebook, entrava diariamente em contacto com Mirta, que ficara no seu apartamento de Angra dos Reis.
Num Mail’s, esta informara haver recebido telefonema de Carina, sobre o assunto de que já estabelecera contacto.
Tinha pressa de que o mesmo fosse aclarado.
No dia seguinte, depois de passar cedo pelo escritório de Lisboa, dirigiu-se ao aeroporto Internacional da Portela.
Num dos voos TAP, de imediato partiu para o Rio de Janeiro.
Chegado à cidade Maravilhosa, fez a sua partida para Angra do Reis.
Mirta esperava-o ansiosa e também com manifesta saudade, traduzida em beijos e mimos.
Depois de contactar telefonicamente Carina, Olavo combinou estar em Florianopolis, no dia seguinte.
Como ainda nada sabia de horários de voos para a Capital do Estado de Santa Catarina, de lá a contactaria.
A seguir Mirta e Olavo jantaram, numa atmosfera de troca olhares enternecedores.
Depois do que regressaram ao apartamento e finalmente, se enlearam, ternamente, por bastante tempo.
Chegado ao outro dia, de manhã cedinho, o inspector foi tomar o avião para Florianopolis.
Ali, depois de instalado, no hotel – Mercure Florianopolis Convention, de novo, estabeleceu contacto com Carina.
Combinaram um encontro, logo nesse dia no bar do hotel.
Esta apareceu bastante excitada e desatou logo a apresentar contornos da sua história.
Aparentemente, não diferia muito de outras que, pacientemente ouvira.
Era o seguinte:
- Seu marido, o Adilson, Deputado pelo Estado catarinense, ultimamente parecia desmotivado de cumprir as suas obrigações matrimoniais.
Teria embeiçado com outra mulher e ter perdido o interesse por ela?
Olavo, depois de a ouvir, questionou, não serão apenas suspeitas, infundadas suspeitas?
Carina, como que surpreendida com a pergunta negou, porque isso se estava a passar há bastante tempo.
Visto ser assim, o inspector anotou dados e iria agir, decerto veria do que se tratava, em concreto, dentro de dois dias a contactaria de novo.
Entretanto, já Carina se ia insinuando a Olavo.
Os deuses sabem que, este sem o prever, quase se viu na obrigação de a mandar subir.
Já no seu aposento reparou que, ela era uma mulher, pouco menos que irresistível.
De certo modo, ali estava desafiadora, que fazer?
Vendo-a carente, Olavo achou por bem satisfazer-lhe os desejos.
Era uma cliente, não podia recusar-lhe a almejada felicidade que parecia implorar.
Em determinado momento entregaram-se mutuamente.
No fim, ambos saciados, pareciam ter vagueado numa galáxia, chamada felicidade.
Carina, consultou o relógio e ia-se a despedir.
Olavo não o consentiu e acompanhou-a à saída do Mercure Florianopolis Convention,
Aí sim, fizeram as suas despedidas.
O inspector ficou ainda a observar o porte de Carina, até ela se meter no carro e arrancar.
Voltou ao seu aposento, a meditar no doce que de mulher que acabara, de satisfazer gostosamente.
Nisto ficou a equacionar a estratégia, para dar início à investigação ao deputado.

Daniel Costa