quinta-feira, 27 de setembro de 2012

CASTELO DE SÃO JORGE

 
O Castelo pode ser observado, no alto
foto de Daniel Costa

CASTELO DE SÃO JORGE

Já o dia ia avançado, quando o Inspector meteu a chave na porta do seu escritório.
Pouco se demorou, uma vez que combinara almoçar com a Tila, a quem iria oferecer o almoço.
Pensava em como a abordar, no mesmo, para a tornar sua amante.
Ao mesmo tempo, queria consumar o namoro na noite desse dia, afim de que pudesse ser rápida, também a sua possível aceitação para parceira, na inscrição e entrada com ele no Clube de Swing.
Ia remoendo tudo isto, quando se encaminhava, para o restaurante, no Colombo, conforme o combinado, onde a aguardaria.
Em pouco avistou a elegante Tila, desfilando a sua beldade, na grandiosa rua que ia dar ao restaurante.
Como cavalheiro, levantou-se e ofereceu-lhe um panorâmico lugar.
Após consultarem as listas com o menu e de fazerem os seus pedidos ao solícito empregado, fluiu a conversa, que Olavo foi encaminhando a seu belo prazer, no melhor sentido do seu interesse.
Ia caminhando para que ela assumisse o namoro.
Como a mulher para se entregar, pelo menos, precisa fingir imaginar-se conquistada.
Assim aconteceu:
- No fim do almoço, Olavo e Tila, eram garbosos namoradinhos!
Seguiu-se o café, adquirido num dos “nichos” especializados, de uma galeria e tomado numa das mesas junto ao gradeamento, acentuando a visão das ruas inferiores.
O local era o ideal, para se fixarem as novas conquistas amorosas.
Ali namoraram algum tempo, até que se despediram, ficando novo encontro marcado, para a noite no Europa Bar.
Acontece que Olavo se dedicara, em exclusivo, a resolver o caso da sua cliente Vanessa.
Como já observara, o mesmo era motivado pelo Swing, pelo que ia actuando bastante a rondar o Clube, o mesmo em que vira Adolfo entrar.
Mais uma vez por lá passou, ficando informado que o mesmo, funcionava apenas três dias por semana.
Sabido este pormenor, subiu ao antiquíssimo Castelo de São Jorge, situado nas redondezas.
O chamado Castelo de Lisboa, localiza-se, na freguesia, que se denomina mesmo Castelo.
O nome actual deriva da devoção do castelo a São Jorge, santo padroeiro dos cavaleiros e das cruzadas, por ordem de D. João I no século XVI.
Na primeira metade do século XX, o Castelo chegou a estar num avançado estado de ruína.
Na década de 1940 foram implementadas grandes obras de reconstrução.
Por esse motivo, ao contrário do que se poderia pensar, o “carácter medieval” deste conjunto militar deve-se a esta campanha de reconstrução e não à preservação do espaço do castelo, desde a Idade Média até aos nossos dias.
Este ergue-se em posição dominante sobre a mais alta colina do centro histórico, proporcionando aos visitantes, deslumbrante panorâmica sobre a cidade e o estuário do rio Tejo.
O castelo vem de tempos remotos, tendo pertencido a variados povos que iam constituindo de Lisboa a praça-forte dos seus domínios.
O Inspector bastante conhecedor da cidade, de Lisboa, não deixou de recuar no tempo e pensar no do islamismo lisboeta.
O castelo já havia defendido a antiga cidadela islâmica, o Alcazar, abrindo nos seus muros com ameias, doze portões, sete dos quais, para o lado da freguesia de Santa Cruz do Castelo.
Pensando, em como teria sido, a cidade dos tempos a. C., dirigiu-se para o jantar.
Logo após foi, para o Europa Bar, tomar café.
Porém para o fazer aguardou a chegada da Tila, em boa companhia iria ter outro sabor.
Esta não se fez esperar!
Ambos bem instalados, solicitou ao barmen, os dois cafés acompanhados de um Vinho do Porto de trinta anos.
Como conhecedor de bons vinhos e de como se degustam.
Propositadamente, foi como que, embalando-a, com o assunto a que prestou muita atenção.
Depois lhe apontou Adolfo e a amante, que estavam numa mesa próxima, como dois Swingrs.
Era intróito, para falar do assunto e sua profissão de detective particular.
Depois disto, ela muito terna, foi-o ouvindo e cada vez mais atraída, aceitou ser levada a dormir num hotel.
Tita mostrado toda a sua sensualidade, com prazer ao Olavo se entregou!

 

Daniel Costa

7 comentários:

  1. Sua narrativa é rica porque traz, a cada capítulo, um pedaço da história, apresentando lugares e fatos importantes ao leitor.
    Olavo não perdeu tempo (rss). Vamos ver o que vai aprontar no clube. Bjs.

    ResponderEliminar
  2. Daniel,
    curiosamente, hoje eu estava lendo sobre o Castelo São Jorge.
    Pois bem, o Olavo foi bem sucedido em seu objetivo, e interessante que as descrições tuas ficam a quem não conhece ainda os cenários de Lisboa pessoalmente.
    Abraços!

    ResponderEliminar
  3. Daniel, amigo querido!
    Sempre um grande prazer te encontrar tão criativo na formação dos enredos dos teus posts. O tema é controvertido, mas interessante. O Olavo sabe tirar partido de tudo, hein?
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  4. Boa tarde amigo Daniel!!!!!!!
    O bom de visitar o Top Secret Olavo é que sempre na viagem do mundo da história que geograficamente nos mostra à visita desse monumento na mais alta colina de Lisboa,nos faz mais evolutivo culturalmente,onde à própria imagem reflete.
    E o Olavo no seu desenrolar dos amores,noa mostra que sempre é habilidoso na hora da conquista.Quero ver no swing,como vai ser esse desenrolar,aguardo o próximo capitulo...
    Abç.

    ResponderEliminar
  5. Boa tarde, Daniel
    Desta vez é o Castelo de S. Jorge que descreves com bastante propriedade.
    Fizeste uma boa escolha. O local é lindíssimo (já lá fui imensas vezes, como tu também, naturalmente...). Até assisti lá a um casamento (como convidada), e as fotos ficaram lindíssimas, naqueles recantos encantadores. É um lugar carregado de Hisdtória.

    Quanto ao nosso amigo Olavo, já perdi a conta a quantas mulheres lhe passaram pelas mãos (e não só...) desde que iniciou a sua actividade como detective.
    Será que, mais uma vez, ele se vai sair bem, com a ida ao swing? Tudo leva a crer que sim...
    Aguardemos.

    Bom fim de semana. Beijinhos

    PS - Já recebi o livro da Evanir, e, claro, já agradeci. Obrigada a ti também.

    ResponderEliminar

  6. Olá Daniel,

    Gostei de conhecer a história do Castelo de São Jorge.
    O Olavo já se deu bem novamente. Pelo visto, ele conseguiu a isca que precisava para cumprir sua "missão"(rsrs).
    Aguardemos...

    Grande abraço.

    ResponderEliminar
  7. Chegando ao blog, e vou aproveitar e salvar o link para acompanhar essa história que esta tão interessante e rica de detalhes.
    bjs

    ResponderEliminar