sábado, 12 de setembro de 2015

CABO BRANCO E PONTA DE SEIXAS



CABO BRANCO E PONTA DO SEIXAS
 
Completamente tranquilo, visto já estar unido, de facto, com a adorada Samira no Residencial Apart Vitory, Teodósio de Mello, agora enquadrado no meio, tinha tudo para se dedicar ao que planeara:
- Viver no Brasil, a estudar os efeitos da presença e influência de Portugal naquele Pais.
Foi assim que, planeou observar a Ponta do Seixas, ao Cabo Branco, depois de saber que é ali o sítio mais ocidental das Américas do Sul, portanto, onde o onde o sol nasce mais cedo, naquela parte do Globo.
Este fato, atualmente, está consubstanciado na Ponta do Seixas, junto, a menos de mil metros de distância, devido à erosão da costa.
Escolher a Paraíba, para viver, numa das cidades de paisagens de costas, de praias mais emblemáticas do Nordeste do Brasil. Já que, por ali terão passado, por certo, elevado número de navegadores, a partir de 1500, senão ainda antes.
A costa marítima aprazível, que o estado vai sabendo explorar, a todos os níveis. No entanto, por agora fale-se de Cabo Branco e zona envolvente.
Em primeiro lugar, da vasta avenida e do calçadão, que já passando em Tambaú, também pode ser seguida em Cabo Branco, com a particularidade de dali se ver um nascer de sol fabuloso.
A mesma encerra ao trânsito automóvel, até certa hora da manhã, para dar lugar a caminhadas ou cicloturismo.
No calçadão, junto à praia, também se realizam espectáculos lúdicos, o mesmo acontece, em Tambaú.
Foi a Estação Cabo Branco - Ciência, Cultura & Artes, uma extensão monumental, projectada, pelo Arquitecto Óscar Niemeyer, que nascido no Rio de Janeiro, em 1907, se viria a tornar famoso, pela realização de outros grandiosos projectos, como os de vários edifícios de Brasília que, proporcionou admirável visita.
Na verdade a Estação de Cabo Branco deslumbra, pelo seu moderno complexo arquitectónico, pela estrutura de serviços que ali podem ser notados a começar por uma Torre Mirante, Anfiteatro, Administrativo, Salas de Convenções, Auditório.
Depois a Ciência, porque a Estação de Cabo Branco, é um núcleo de conhecimentos e saberes, estabelecendo um diálogo com as comunidades educativa, científica, cultural e artística, capaz de transformar a vida societária.
Conta com Planetário, Caminho de Conhecimento, 900 metros, localizados em área externa com 12 expertos científicos, que têm por função interagir com os visitantes, propiciando aulas de campo sobre matemática, física, química e ciência em geral, para estudantes e professores das escolas públicas e particulares.
Laboratórios de Astronomia, Robótica.
Muito mais, no que respeita à cultura e arte, foi o que Teodósio de Mello, pode saber, não sem sentir grande fascinação.
À vista, o caminho desejável para uma sociedade moderna.
 
Daniel Costa